segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Lealdade não se compra!

   Boa noite, queridos amigos e leitores. Como vocês estão se sentindo nessa segunda semana de Agosto? Bom, espero que melhor que eu, que mal voltei das férias e já tenho prova na quinta, porque o professor disse que seria um método interessante de ensino fazer com que estudemos uma matéria que ainda não aprendemos para uma avaliação... Mas, ao invés de estudar, estou chorando.

Leitores: Mari e Michel. Anjinhos: Denzel e Mozila.
   O tema que eu gostaria de abordar hoje é a adoção consciente. Acho que, pra quem me conhece ou já acompanha o blog faz um tempo, deve ter percebido o quanto adoro animais e defendo com tudo a adoção, ao invés da compra e, nesse post, estarei defendendo esse ponto de vista.

   Antes de mais nada, eu quero que vocês tentem imaginar o que acontece com esses animais quando não são adotados. Felizmente, existem muitas ONGs boas, mas não são em todas as cidades e com todos os recursos necessários. Esse pobres animais estão sujeitos a serem atropelados ou maltratados por pessoas que não tem o mesmo senso de que eles tem o mesmo direito de viver quanto a gente.

Nina cheirando uma florzinha
   E vale lembrar: eles são sim responsabilidade nossa! Talvez não seja culpa sua que eles estejam na rua, mas é uma herança que deixamos pra eles, infelizmente. Então, nada mais justo que fazermos tudo o que pudermos para salvarmos o máximo deles possíveis.

   E o bom de ter esses vira-latinhas ao lado é que, além da fidelidade e companhia, podemos nos tranquilizar mais em questão a doenças. Todos sabemos que eles dificilmente ficam doentes e dão esse tipo de trabalho, são capazes de comer de tudo (mas recomendo alimentá-los direito), rolar na carniça, perseguir o carteiro, sumir por uma noite e voltarem sem um arranhão e sem doença. Mas, às vezes, teremos que tirar um carrapatinho aqui e ali. HAHAHAHAHAHAHA

Casal 1: Mozila e Michel. Casal 2: Denzel e Mari.
   Se isso não te convence, você sempre pode pensar em seu bolso também, além de não serem exigentes, eles são de graça! Você não precisa pagar 3 mil pra ter o amor deles, apenas precisa correspondê-los!

   Pense também que, adotando esses anjinhos, você está evitando que pessoas irresponsáveis os adotem, os amem enquanto são pequenos e os descarte depois de crescidos. A propósito, se você for fazer isso, não adote e nem compre, apenas não tenho um bicho de estimação!

Nina tentando escalar minha perna no meio da sessão de fotos


   E, principalmente, quanto mais pessoas adotando, menos estarão comprando e, quem sabe, assim vai se extinguindo essa forma nojenta de reproduzir e descartar os que não foram vendidos. Mas prefiro não me adentrar muito nesse assunto, porque meu coração não aguenta essa cruel realidade.

Nina no veterinário/ Raio X da pata
   Por último, para encerrar, uma das cadelinhas mais bagunceiras e fofas do mundo nasceu com má formação na pata e sua mãe não está tendo dinheiro o suficiente para custear uma cirurgia de R$2.000,00. Então, está sendo feita uma vaquinha online para ajudá-la, espero que, quem puder, mesmo que com um ou dois reais, por favor, ajudem!


   Muito obrigada por terem lido até aqui, não esqueçam de deixar o comentário maroto, com dicas, críticas ou elogios (se for o caso), estou tentando meu máximo para trazer bom conteúdo para vocês!

4 comentários:

  1. Meus filhos são lindos e fotogênicos! ❤
    Adotar é lindo e salva a vida de um bichinho! Mas não podemos esquecer de castrá-los! 😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não podemos esquecer de, principalmente, castrá-los

      Excluir
  2. Respostas
    1. Nina nasceu pro brilho UHEUEHUEHEUHEUHEUEHUEH

      Excluir