sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Análise: Eungyo - A Musa

   Olar, queridos amigos, colegas e leitores aqui do blog, tudo bem com vocês? O assunto que irei abordar hoje é um tanto quanto polêmico, pois estarei dando minha opinião quanto a um filme que retrata o amor de um homem de idade por uma garota do Ensino Médio. Leiam até o final e tirem as conclusões de vocês.


    Creio que já devo ter comentado algo a respeito de meu apreço pela cultura asiática, então, ao ver que a Netflix colocou em seu catálogo inúmeros filmes sul coreanos, séries baseadas em mangás (inclusive um original da Netflix, que poderei comentar a respeito se vocês quiserem). E entre esses filmes encontrei um com uma sinopse intrigante.

   Eungyo - A Musa, cujo título original é apenas Eungyo, foi dirigido por Chung Ji Woo, é um drama lançado em 25 de Abril de 2012, possui a duração de 129 minutos e foi escrito, também, por Chung Ji Woo e Park Bum-Shin.


   O filme inicia-se mostrando um pouco da vida pacata que um renomado poeta e professor universitário de 70 anos, Lee Juk-Yo, junto de seu aluno assistente, Seo Ji-Woo, que planeja seguir os passos de seu "mestre". Porém, um dia encontram, inesperadamente, uma jovem de 17 anos dormindo na varanda da casa do professor e, após alguns dias, contratam essa menina de comportamento peculiar para ajudar na limpeza da casa, já que um já estava um pouco velho para o serviço e o outro estava ocupado com o trabalho.

   Talvez vocês estejam pensando que o erro da menina foi ter começado a trabalhar naquela casa, no entanto, Lee Juk-Yo aparentemente já havia visto algo de incrível nela desde a cena da varanda, ao vê-la dormir. A presença dela na residência, só serviu para aumentar esse desejo um tanto quanto doentio, ao meu ver, desse senhor.


   Tem muito drama em volta dessa relação, que é descoberta por seu aluno. Mas creio que o tema principal do filme é sobre a solidão. Pois os três personagens principais são pessoas extremamente solitárias, que passam por algumas situações difíceis, seja violência doméstica ou frustração por não possuir talentos.

   Mas o que eu queria deixar claro sobre esse filme é que, apesar de realmente possuir cenas de nudez, ou sexualização da menina de 17 anos, o amor unilateral de Juk-Yo não é romantizado pelo filme, inclusive, ao entrar em desespero por seu ciúmes, ele toma uma atitude errada que muda completamente a história dos três e se torna irreversível. 

   A iluminação do filme é fantástica, por ser um filme bastante parado, os efeitos de áudio ao fundo costumam ser bem baixos e suaves, juntando os dois, o filme parece um retrato do verão. A atuação, como eu já expliquei sobre a atuação sul coreano, ao meu ver, foi muito boa, com a menor quantidade de exageros possíveis. Mas é um filme muito parado, se você prefere ação, aventura, ficção científica, provavelmente não irá gostar desse filme.


   Enfim, essa foi minha opinião sobre o filme, espero que possam comentar a respeito sobre o que vocês acharam, ou, se já assistiram o filme, me conte a impressão que ele causou em vocês. Confesso que tive um pouco de raiva ao assistir, mas acho que é um reação normal, certo? Estou esperando as respostas de vocês. Obrigada pela atenção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário